26 de novembro de 2008

soltas ao vento, presas aqui

"Me desculpem a expressão, mas às vezes pra você não sair prejudicado, você tem que se colocar no lugar do outro e pensar igual a um filho da puta.”
Professor de Marketing, em aula numa faculdade de Salvador.

“No mundo de hoje, ou você se adapta às mudanças, ou no final acaba virando um alcoólatra.”
Professor americano de Gestão Estratégica, em aula nunca faculdade de Salvador.

Josué pergunta à professora de Sociologia, no primeiro dia de aula, no seu primeiro curso de ADM, em 1999:
-Depois desses anos todos de estudo de Sociologia, o que a senhora descobriu de mais interessante?
-(Nenhum segundo para reflexão) Que todos nós somos hipócritas sociais.

Homem na rua: “agente é a plebe, agente faz a revolução”

Mulher sentada na rua:

-“menino, me dê cinco centavos”
-"eu não tenho".

Minha sobrinha de 3 anos:

-titio, o senhor está passando ferro?
-sim, estou.
Ela então indaga novamente franzindo a testa:

-o senhor não está passando roupa não?

Um amigo me pergunta:
-Cara, o que faz o homem se apaixonar por uma mulher?
-Os hormônios. Se tirarem sua testosterona você não sentirá mais atração por mulher nenhuma, igual ao que fizeram com o ratinho na experiência de laboratório.

Meu ex-cunhado, de Pernambuco, experimentando a Lavagem de Itapoan, Salvador, no ano de 2000:
“Aquilo foi a visão do inferno”

Apresentador de programa de tv, Salvador, horário de almoço:
“hoje só vai ter bagaceira”

Josué fala pra amiga que vai receber um mensalão,nos próximos meses:
“lembra-te de mim quando estiveres no paraíso”

Mulher estranha, na faixa dos 50, me dá conselhos para o casamento no intervalo do almoço, tomando sopa:
“procure usar sempre palavras doces; não se ache o gostosão achando que é só você que trai; não crie confusão por bobagens”

Amigo de meu primeiro curso de ADM em Pernambuco, tenente do exército, chefe do comando da região, em 1999, me diz:
“o único homem que a mulher ama é o filho”

Um amigo me diz, numa tentativa de se auto-confortar:
“cara, eu sei que quando eu morrer, vai ser como se eu estivesse dormindo”
Eu respondo: “Não. Quando você está dormindo, seu corpo experimenta sensações porque seu cérebro continua funcionando. Quando você estiver morto, simplesmente não vai haver sensação nenhuma. Vai ser um nada."

Josué fala a amigo:
“Eu pisei num côco e quase o ônibus passar por cima da minha perna. Se eu perdesse a perna, eu ia virar um deficiente rancoroso”

Josué conversa com amiga de cinqüenta e poucos anos, que tem 4 filhos:
-filho é preocupação pro resto da vida, não é?
Ela responde:

-É sim. Foi por isso que tomei o chumbinho naquele dia.

Pedreiro fala pro amigo, em Pernambuco, 1996.
“Eu não tenho estudo, mas eu sei da vida”

Mulher fala pra filho, após sepultamento do marido:
“acabou nino, acabou.”

Minha sobrinha de 3 anos me diz:
“titio, eu te amo”

3 comentários:

Kenia Mello disse...

Fragmentos do dia-a-dia. Verdadeiros e absurdos como a própria vida. Não suma. :)
Beijo.

Homenzinho de Barba Mal feita disse...

Quem é vivo sempre posta não é verdade???
Adorei a resposta da sua professora de sociologia...rsrs

Achei que você tivesse abandonado o blog, já tinha ficado triste, porque tem tanto blog ruim por ai que é foda...rsrs


Abraços!!!


http://hdebarbamalfeita.blogspot.com/

Fernanda Alves disse...

gostei deemais do teu blog=)
parbéns mesmo!!!
espero que goste dos meus versos perdidos=)